Sunday, January 07, 2007

Chegadas, partidas, encontros, desencontros, reencontros...

Até aqui me ensinou a vida, presenteando-me com grandes amizades e histórias verdadeiras que, as chegadas, partidas, encontros, desencontros e reencontros não representam mais que novas etapas.
Com tudo tão severamente duvidoso e incerto, nunca pude sentir essa aflição que antecede uma partida. O físico partia mas as pessoas, a História e tudo o que envolve nossas existências nunca se perdia. Não sentia tanto a aflição e a dor do "adeus" porque esses momentos em que se dispede nunca duravam tanto.
Por essa razão consegui ser muito prático em todas as chegadas e partidas. Sentia-me tão certo de que, dalí alguns quilômetros ou um simples DDD reencontraria todos, sempre com alguma saudade mas sempre logo alí!
Hoje a partida é certa, tem data e hora marcadas.
Sou tomado por uma aflição que arrebata meu peito com uma onda de calor e frio, medo, solidão... Medo de nos perdermos uns dos outros. Despedidas não deviam ser tão longas! Anseio pelo reencontro, ainda que sem o "adeus" dito.
Já não me porto mais como antes, ser prático não é tão fácil e não serão mais alguns quilômetros de distância. Partimos, mas plantado em nossos peitos está o amor que vivemos, que sentimos, e a mais pura prova disso são as saudades que despertamos uns nos outros.
Quem disse que o duro é ouvir "Adeus"!?! Quanto engano!
Sinto muito pelo adeus que ouço, mas sinto ainda mais pelo que devo dizer.
Me conforto pensando que, apesar do oceano e de distância, nossa História ainda existe. Há sempre um amanhã e amahã ainda estaremos juntos, aqui, alí, lá, onde quer que seja porque enquanto vivermos teremos nosso amor e nossa história para nos lembrar de quem somos uns para os outros.

1 comment:

  1. Lenina Z5/4/08 01:00

    nossa! que profundo! hehe!

    ReplyDelete